Renda Fixa e Renda Variável: quais são as diferenças?

Você está chegando agora no mundo dos investimentos e ainda não consegue diferenciar muito bem o que é renda fixa e renda variável? O post de hoje foi feito especialmente para você.

Hoje vamos mostrar quais as características de cada uma das aplicações, além exemplificar cada uma delas. Confira!

Afinal, qual a diferença entre renda fixa e variável?

As aplicações em renda fixa são aquelas cujo rendimento podem ser previamente definidos. Assim, a rentabilidade dos investimentos de renda fixa são previsíveis e não apresentam muita variação.

Os investimentos em renda fixa são considerados ideais para investidores com um perfil conservador, que não querem correr riscos, já que essas aplicações não estão sujeitas às oscilações do mercado financeiro e os rendimentos podem ser previstos, pois eles rendem a partir de taxas pré-estabelecidas, como a do CDI.

A renda variável, por sua vez, não apresenta a mesma previsibilidade da renda fixa, já que o preço dos ativos podem variar o tempo todo, graças a diversos fatores, como a economia do país, o cenário político e as taxas de juros. Portanto, as aplicações em renda variável podem ser mais arriscadas e, ainda, podem trazer prejuízos.

Em contrapartida ao risco maior, os investimentos em renda variável são mais rentáveis que os investimentos em renda fixa. Sendo assim, estes investimentos são mais adequado aos investidores arrojados, que possuem mais conhecimento de mercado.

Contudo, é importante saber que você pode ter investimentos de ambos os tipos, afinal de contas, a diversificação pode ser muito rentável! Basta ter sabedoria na hora de investir e saber onde o seu patrimônio está sendo aplicado.

A seguir vamos explicar os principais tipos de investimentos de cada tipo de renda.

Anúncios

Renda Fixa

A seguir, falaremos sobre os títulos de renda fixa, além de exemplificar cada um deles.

Títulos pré-fixados

Títulos com taxa de pré-fixada possuem um rendimento fixo que é estabelecido no momento que você investe. Ou seja, o seu rendimento será o mesmo até o vencimento da aplicação. Os ativos deste título costumam render menos do que os títulos pós-fixados.

Esse tipo de investimento é ideal para aqueles que querem resgatar um determinado valor no futuro. Além disso, um título pré-fixado também pode ser recomendado quando há alguma previsão de queda nas taxas de juros.

São exemplos de investimentos que podem ter títulos pré-fixados:

  • LC
  • Tesouro Direto Prefixado
  • CDB

Títulos pós-fixados

Os títulos pós-fixados são atrelados a indexadores econômicos, como a taxa do CDI ou a taxa Selic, e seus rendimentos são representados por uma porcentagem de algum desses indicadores.

Como esses indicadores econômicos possuem alguma variação, a remuneração do investimento irá variar junto com eles. Sendo assim, se o indexador cair, a porcentagem do rendimento também cairá, e vice-versa. Portanto, não é possível saber exatamente o quanto seu dinheiro renderá até a data de vencimento da aplicação, podendo apenas, ter uma previsão sobre o valor acumulado.

São exemplos desse tipo de renda fixa:

  • LC
  • LCI e LCA
  • CDB
  • Tesouro Direto Selic

Títulos híbridos

Como dissemos anteriormente, estes títulos são chamados de híbridos porque parte do rendimento possui uma taxa fixa e outra parte possui uma parte variável. Ou seja, a parte fixa deste título funciona como os títulos pré-fixados e a variável depende de indexadores de inflação, de forma semelhante aos investimentos pós-fixados.

Os indexadores de inflação atrelados, como o IPCA, a este título podem variar, mas a parte pré-fixada garante que uma parte do investimento seja garantido. Isso traz uma grande vantagem, pois os rendimentos podem ser acima da inflação, trazendo um ganho real.

Exemplos de títulos híbridos:

  • LC
  • LCI e LCA
  • Debêntures
  • CRI
  • CRA
  • Tesouro Direto IPCA+

Renda Variável

Agora, vamos listar os principais investimentos em renda variável:

Ações

As ações são, provavelmente, o investimento de renda variável mais conhecido. Este investimento nada mais é do que a compra de uma do capital social de alguma empresa. Comprando uma ação, você compra parte do negócio.

Se der, colocar tipos de ações.

Este tipo de investimento tempo um grande potencial de valorização a longo prazo, já que a maioria delas possui rendimentos acima do CDI. No entanto, é necessário escolher bem uma empresa para investir, pesquisando seu histórico, projeções e, ainda fazer uma análise sobre o mercado em que ela está inserida.

Opções

As Opções são um investimento em que se negocia o direito de comprar ou vender um ativo por um determinado preço, após um período de tempo. Nos contratos deste tipo de investimento, há uma data de vencimento e o prêmio de risco da operação. Sendo assim, neste tipo de investimento os ativos não são negociados em si, mas sim o prêmio da operação.

Em tempo, vale dizer que este tipo de investimento é considerado de alto risco, sendo indicado para investidores que realmente querem correr riscos.

Fundos Imobiliários (FIIs)

Os FIIS são investimentos no mercado imobiliário. Estes fundos são frações de empreendimentos como shopping centers, lajes corporativas ou galpões logísticos.

A rentabilidade destes investimentos varia de acordo com a valorização das cotas do fundo. Além das cotas, há também o pagamento de alugueis mensais, de forma semelhante aos imóveis físicos.

E aí, gostou do post? Então comente e compartilhe para que mais pessoas também possam ver!