O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um investimento que está ficando mais popular entre os brasileiros, principalmente porque o seu rendimento é superior ao da poupança. Mesmo com o aumento de sua popularidade, muita gente não sabe como o investimento funciona.

No artigo de hoje, solucionaremos as principais dúvidas sobre o investimento e explicaremos como o título emitido pelo governo federal funciona.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um título público de renda fixa, emitido pelo Tesouro Nacional. Esse título é destinado às pessoas físicas.

Ao comprar um título do Tesouro Direto, você “empresta” dinheiro para o Governo, que investe esse dinheiro em infraestrutura. A rentabilidade desse investimento pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida, e depende de título para título.

O investimento tem liquidez diária, desse modo você pode resgatar antes do vencimento. No entanto, com exceção do Tesouro Selic, você estará sujeito a pagar taxas.

Quanto à tributação, os impostos cobrados em títulos públicos são regressivos. Desse modo, quanto mais tempo você deixa o dinheiro investido, menor será a alíquota do Imposto de Renda sobre os rendimentos.

A quantia mínima para investir é de R$ 30,00, o que faz dele um investimento acessível.

Qual é o rendimento do Tesouro Direto?

A rentabilidade do tesouro direto pode variar de acordo com os títulos, sendo que alguns podem ser pré-fixados, e outros podem estar atrelados à taxa básica de juros (taxa Selic) ou ao índice de inflação (IPCA).

Anúncios

No caso de um título pré-fixado, este vai apresentar o mesmo rendimento sempre. A rentabilidade é definida antes da obtenção do título.

Os títulos pós-fixados pode variar de acordo com a taxa que eles estão atrelados. Se, por exemplo, você investir em título pós-fixado atrelado à Selic, rendimento vai ser atrelado somente à taxa e estará sujeito as suas variações.

Já os títulos híbridos possuem uma parte pré-fixada e outra pós-fixada. Ou seja, uma parte da rentabilidade não varia e a outra está sujeita a variações, como o IPCA.

O Tesouro Direto apresenta algum risco?

Não há nenhum tipo de investimento sem risco. No entanto, investimentos em papéis públicos são uma opção segura. Afinal, o governo nunca deu nenhum calote e deixou de pagar os credores do Tesouro Direto.

No tesouro direto, há duas situações em você pode perder parte do dinheiro que você investiu. Uma delas é quando você compra algum título pré-fixado ou indexado ao IPCA de longo prazo e o venda antes do vencimento. Se o preço do papel estiver em queda, você pode perder parte do dinheiro investido. Esse tipo de risco é chamado de Risco de Mercado.

O outro risco é a possibilidade do risco de crédito, que só aconteceria se acontecer um calote na dívida pública, que só aconteceria se a economia nacional estiver em um estado extremamente grave.

Quais são os títulos do Tesouro Direto? Como eles funcionam?

Antes de começar a investir no tesouro direto, você precisa entender as categorias do investimento, para saber qual delas atende melhor aos seus objetivos.

  • Tesouro Prefixado

Essa modalidade tem rentabilidade fixa, isto é, o rendimento desse investimento não possui nenhuma variabilidade, os percentuais serão os mesmos da data em que você criou o investimento até a data do vencimento. Sendo assim, você já sabe o quanto irá resgatar desde o dia em que fez o investimento.

Esse título é ideal para investidores mais conservadores, que temem que os juros da economia podem sofrer alguma queda. Além disso, é ideal para quem quer conseguir um determinado valor no futuro.

  • Tesouro Atrelado à taxa IPCA

O IPCA é uma sigla para Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. O índice nada mais é do que o principal medidor da inflação no país. Sendo assim, esse título do Tesouro Direito é atrelado aos índices da inflação brasileira.

Geralmente, esses títulos são híbridos, já que sua rentabilidade tem uma parte fixa e uma parte variável, que é a atrelada ao IPCA. Como a inflação varia, em alguns momentos o seu investimentos renderá mais e em outros renderá menos.

De qualquer modo, você sempre ganhará um valor acima da inflação, o que implica em um ganho real. Sendo assim, os títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais são ideais para os investidores que querem proteger o dinheiro da desvalorização.

  • Tesouro indexado à Taxa Selic

Esse é um dos títulos mais conhecidos do Tesouro Direto e é o único título público indexado à taxa Selic. Trata-se de

O Tesou Selic, como o próprio nome indica, rende o equivalente aos percentuais da taxa Selic. Além disso, o investimento sempre tem uma rentabilidade positiva, não havendo, portanto, risco de perder o dinheiro investido.

É um ótimo investimento para ser usado como uma reserva de emergência, já que o investimento tem uma baixa volatilidade. Por isso, se você solicitar o resgate antes do vencimento, você não perderá seu dinheiro investido.

 

E aí, gostou do post? Então comente e compartilhe para que mais pessoas também possam ver!