O que devo considerar na hora de aplicar a reserva de emergência?

Você quer fazer uma reserva de emergência, mas não sabe o que levar em conta na hora de aplicar? Então esse artigo é para você!

A seguir, você confere quais características de uma aplicação devem ser levadas em conta para que você faça sua reserva de emergência com facilidade e segurança.

Certifique-se se a aplicação é segura

Lembre-se daquele ditado: segurança em primeiro lugar! A segurança de uma aplicação está ligada aos fatores de risco da mesma, os riscos de perder parte, ou todo o dinheiro investido.

Vale dizer que qualquer tipo de aplicação oferece algum risco, no entanto, existem algumas que não apresentam um risco bem baixo, e são essas que devem ser utilizadas para aplicar a reserva de emergência.

O título possui uma liquidez alta?

A liquidez é um termo que pode causar certo estranhamento para pessoas que não possuem muita familiaridade com investimentos ou para investidores iniciantes. Em linhas gerais, a liquidez de uma aplicação diz respeito à facilidade e à rapidez em que o dinheiro investido cai em suas mãos.

Quando uma aplicação possui uma liquidez baixa, significa que o dinheiro pode demorar semanas ou meses para cair na sua conta. Como a função da reserva de emergência é ser usada em situações urgentes, você não pode esperar por semanas para ter o dinheiro em mãos, certo? Portanto, escolha uma aplicação com liquidez alta, em que você possa retirar o dinheiro na hora ou, no máximo, até o próximo dia útil

Prefira aplicações previsíveis

A previsibilidade de uma aplicação envolve alguns fatores, como o risco e a rentabilidade do título..

Devido à natureza da reserva de emergência, é importante que a aplicação não apresente muitas características que podem ser imprevisíveis, como é o caso das ações. Prefira aplicações de renda fixa, que possuam títulos pré-fixados ou híbridos.

Anúncios

Os títulos pré-fixados possuem uma taxa de rentabilidade fixa, permitindo que você saiba o quanto seu dinheiro renderá até a data do vencimento da aplicação. Os títulos híbridos possuem uma taxa pré-fixada que é somada a um índice pós-fixado, isto é, que possui alguma variação. Geralmente, os títulos híbridos são indexados ao IPCA, que é o índice que mede a inflação brasileira.

Quais aplicações são indicadas para se fazer uma reserva de emergência?

Levando em conta os critérios mencionados anteriormente, fizemos uma lista com aplicações ideais para fazer a sua reserva de emergência.

CDB:

A primeira sugestão da nossa lista é o CDB, que é uma sigla para Certificado de Depósito Bancário. Essa aplicação gerenciada por bancos, é excelente para aplicar sua reserva de emergência.

O CDB possui liquidez diária, isto é, você pode ter acesso ao dinheiro em um dia útil após a solicitação. Além disso, a aplicação também possui uma boa rentabilidade, já que o investimento é indexado ao CDI.

Você só perde o dinheiro se o banco quebrar. Além disso, o investimento possui cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Com essa garantia, você recupera até R$ 250 mil reais para o caso de o banco quebrar.

Letras de Crédito Imobiliárias e do Agronegócio (LCI e LCA)

As Letras de Crédito Imobiliário e as Letras de Crédito do Agronegócio, que são mais conhecidas pelas siglas LCI e LCA, são aplicações realizadas por bancos e financeiras, que também podem ser utilizadas para o fundo de emergência.

A liquidez da aplicação pode variar de instituição para instituição. Sendo assim, procure por ofertar com liquidez diária. O risco da aplicação é o mesmo do CDB, você só perde dinheiro se a instituição quebrar. Os títulos dessa modalidade também possuem a garantia do FGC, contribuindo para a segurança da aplicação.

A rentabilidade desse tipo de aplicação também pode variar entre as instituições que a oferecem. Portanto, procure por ofertas com, pelo menos, 100% da taxa Selic.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma modalidade do Tesouro Direto, que é um título do Governo Federal. A aplicação é totalmente indexada à Taxa Selic, o que faz com que a rentabilidade seja atrelada à taxa.

A aplicação é seguro, sendo que você só perde dinheiro em caso de calote, o que nunca aconteceu desde o surgimento do título.

A liquidez do título, assim com o CDB, é diária. A rentabilidade, por sua vez, também é diária, o que significa que o dinheiro aplicado rende um pouco todos os dias.

E a poupança?

A poupança já teve seus dias de glória! Apesar de que a aplicação ainda possui algumas vantagens, como a liquidez alta e a segurança, os seus baixos rendimentos fazem com que ela não seja uma opção tão viável assim para aplicar a sua reserva emergencial.

Isso ocorre porque a rentabilidade varia de acordo com a Taxa Referencial (TR), que atualmente está zerada, e a Selic, que está baixa. Veja, a seguir, como a rentabilidade do investimento funciona:

  • Se a Selic estiver maior que 8,5% -> TR + 0,5%
  • Se a Selic estiver menor que 8,5% -> TR + 70% da Selic

Como os medidores da rentabilidade da poupança estão baixos, fazendo com que os rendimento sejam pequenos, é melhor utilizar outro investimento com uma rentabilidade maior.

 

E aí, gostou do post? Então comente e compartilhe para que mais pessoas também possam ver!