Cinco Investimentos Melhores que a Poupança

Muitas pessoas ainda acreditam que a Poupança é o melhor forma de fazer o seu dinheiro render. Entretanto, a Caderneta de Poupança apresenta um dos rendimentos mais baixos do mercado.

Sabendo disso, selecionamos neste post 5 ótimas opções de investimentos que apresentam riscos baixos e são mais rentáveis que a Caderneta de Poupança. Confira!

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um investimento seguro e perfeito para aqueles que estão começando a investir e querem uma opção confiável e mais rentável que a Poupança. Ela é uma aplicação de renda fixa, em que a pessoa física compra títulos da dívida federal, ou seja, o investidor empresta dinheiro para o Governo Federal.

É um investimento que apresenta riscos mínimos e que tem um rendimento superior ao da poupança. O valor mínimo para começar a investir no Tesouro Direto é cerca de R$ 30.

Quanto à liquidez, em todos os títulos vendidos pelo Tesouro Direto, o investidor pode resgatar quando quiser, mas dependendo do papel, você pode perder parte do seu lucro por causa da tributação.

A tributação cobrada sobre o investimento é regressiva, isto é, quanto mais tempo seu dinheiro fica investido, menor será alíquota paga ao Imposto de Renda (IR). O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) também incide sobre o Tesouro Direto, mas ele só será descontado se você retirar seu dinheiro antes de 30 dias.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um outro investimento de renda fixa, que possui alguma similaridade com o Tesouro Direto. No CDB uma pessoa física faz um empréstimo para um banco.

A rentabilidade desse papel tem como referência a taxa do CDI, e muitos bancos oferecem rentabilidade acima de 100% do CDI, como medida para atrair novos investidores.

Anúncios

Para um efeito de comparação, a poupança em 2019 teve um rendimento anual de 4,34%, enquanto que o CDI acumulado ficou em 5,96%. Portanto, um investimento com uma taxa de 100% do CDI teria rendido 1,62% a mais que a poupança.

É um investimento tão seguro quanto à poupança e, além de contar com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), pode render muito mais que a caderneta.

Assim como o Tesouro Direto, o CDB também sofre tributação do IR, que também é regressiva. O mesmo acontece com o IOF, que não é descontado do investimento passados os 30 dias do período de carência.

Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)

Duas letras também de renda fixa, que possuem semelhanças ao CDB, são as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). Essas letras são emitidas por instituições financeiras com linhas de crédito relacionadas ao setor imobiliário e do agronegócio.

A LCI é um tipo de aplicação financeira ligada ao mercado imobiliário brasileiro. Além de apresentar uma rentabilidade maior do que a poupança, a LCI também apresenta mais duas grandes vantagens.

A primeira vantagem é a isenção do Imposto de Renda e a segunda é que este investimento, assim como o CDB, é assegurado pelo Fundo Garantidor de Créditos. Isto é, se caso a instituição financeira que vende a letra falir ou não conseguir pagar, o Fundo garante restituição de investimentos de até R$ 250 mil.

O que diferencia a LCA da LCI é que a primeira é utilizada para impulsionar o setor do agronegócio. Ela também é isenta do Imposto de Renda e conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos.

Letras de Câmbio (LC)

As Letras de Câmbio também são um investimento de Renda Fixa. Elas funcionam como o CDB, só que ao invés de ser oferecida por bancos, são sociedades de créditos e outras instituições financeiras que a oferecem.

Os valores arrecadados com as LC são utilizadas pelas financeiras para realizar outras operações. Passado o vencimento, as instituições devolvem o valor investido com um percentual de juros, que são bem maiores do que as da poupança.

Ao contrário das LCI e LCA, as Letras de Câmbio são incididas pelo Imposto de Renda, de modo semelhante ao Tesouro Direto.

Fundos Multimercado

Esta opção se diferencia dos demais investimentos citados aqui, justamente por ser uma opção mais arriscada – mais rentável – do que as outras aplicações. Os fundos multimercado são um pouco mais arriscados do que os investimentos de renda fixa, como a poupança, e menos arriscados do que outros de renda variável.

Nesta aplicação, negociam-se vários tipos de ativos, desde ações até rendas fixas, o que faz dela um investimento bem flexível. Portanto, a sua rentabilidade, e os riscos, estarão ligada às decisões do próprio investidor.

O IOF e o Imposto de Renda também incidem sobre este investimento da mesma forma que o CDB e o Tesouro Direto. Além disso, esta aplica está sujeita a duas taxas. A primeira é a Taxa de administração ao fundo, que pode chegar a 3% do patrimônio investido e as Taxas de performance, que só são cobradas quando a rentabilidade da aplicação supera índices de referência.

E aí, gostou do post? Então comente e compartilhe para que mais pessoas também possam ver!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.